Margens de lucro da soja brasileira entre as mais altas da história

Plano de outorga da Ferrogão, que vai escoar os grãos do MT pelo porto de Miritituba

Margens de lucro da soja brasileira estão em patamares recordes na história do país. Desse jeito, porque a oferta é ampla, a demanda chinesa aquecida e o câmbio favorável às exportações.

Tudo isso, apesar do aumento de custos. No geral, o quadro favorável tende a estimular um novo avanço do plantio do ciclo 2020/21, que começará a ser semeado em setembro próximo.

Os dados

De acordo com matéria do jornal Valor Econômico,no Sul e no Sudeste do país – considerando Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais – o custo total médio de produção da oleaginosa foi de R$ 3.560,41 por hectare, 10,2% mais que em 2018/19.

Portanto, a receita bruta por hectare está crescendo 51,5%, para R$ 6.109,55, e a margem líquida sobre a receita bruta saltará de 19% para impressionantes 41,7%. O levantamento feito pela Cogo Consultoria, segundo a matéria.

Da mesma forma, segundo o texto, aconteceu no Cerrado. No caso, incluindo Mato Grosso – estado que lidera a produção brasileira – Bahia e Goiás. Nessa região, o custo de produção aumentou 12,8% na comparação com a temporada passada, para R$ 4.106,87 por hectare, em média. No entanto, a receita bruta cresceu 38,2%, para R$ 5.387,62 por hectare. Por outro lado, a margem líquida sobre a receita bruta pulará de 6,6% para 23,8%, em média, explica o texto.

Venda

“A maior parte da safra [2019/20] foi vendida enquanto o dólar estava subindo, o que acelerou as vendas e já estimula a comercialização da colheita do próximo ciclo”, afirma Carlos Cogo, sócio-diretor da consultoria. Segundo ele, a taxa média de câmbio para os custos da lavoura foi de R$ 3,91, enquanto a média para a comercialização atingiu R$ 4,85. “Não há argumento para se falar em má comercialização”.

Matéria completa no Valor Econômico, por meio do link abaixo:

https://valor.globo.com/agronegocios/noticia/2020/06/02/cresce-rentabilidade-na-producao-de-soja.ghtml