Capacidade de transporte dobrará no Centro Oeste, comemora Wellington Fagundes

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

SENADOR WELLINGTON FAGUNDES: “OBRAS NA MALHA FERROVIÁRIA EM MATO GROSSO DEVEM RETORNAR APÓS DECISÃO HISTÓRICA DO TCU. LINHAS CHEGARÃO A CUIABÁ E CAPACIDADE DE TRANSPORTE DUPLICARÁ NO CENTRO-OESTE”.

Uma notícia aguardada por todo o setor de transportes brasileiro e muito celebrada pelo senador mato-grossense Wellington Fagundes: o Tribunal de Contas da União APROVOU RENOVAÇÃO ANTECIPADA DA CONCESSÃO DA MALHA PAULISTA, até 2058, à concessionária RUMO, responsável pela ferrovia que atravessa o estado de São Paulo e que avança ao Centro-Oeste, através do estado do Mato Grosso.
A fronteira agrícola brasileira passará por transformações positivas com a decisão do TCU – a capacidade de dobrar o transporte no Mato Grosso alavancará a economia do Centro-Oeste impulsionando o desenvolvimento da região e de todo o Brasil. Com capacidade para movimentar, atualmente, 30 milhões de toneladas/ano, a Malha Paulista passará a transportar 75 milhões de toneladas/ano.
“Com a concessionária RUMO retomando a expansão da linha modal ferroviária, o corredor econômico do Centro-Oeste conduzirá pelos vagões, até o Porto de Santos, a força do nosso agronegócio e de toda cadeia produtiva industrial mato-grossense. Isso significa mais empregos, renda, cidades fortalecidas economicamente e nosso estado mais rico, conduzido pelos trilhos do progresso”, comemorou o senador.
Antes da decisão histórica do TCU (na quarta, 27), o contrato vigente da RUMO encerraria em dezembro de 2028, mas o Ministério da Infraestrutura e a ANTT apresentaram a proposta de prorrogação antecipada por mais 30 anos. Nesta quinta, 28, na Agência Nacional de Transportes Terrestres / ANTT, o senador – que é presidente da Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura – participou de audiência com o diretor geral da agência, Davi Barreto, onde consultou o cronograma do governo, a partir de agora, com a decisão de renovação contratual antecipada à RUMO:
“Depois de Cuiabá, a ferrovia avançará ao norte do Mato Grosso, cobrindo todas as regiões produtoras do Estado, e se conectará a outras duas grandes malhas – a Ferrogrão, que ligará Sinop a Miritituba, no Pará; e a Transcontinental, cujo primeiro eixo será através da Ferrovia de integração do Centro-Oeste, ligando Mara Rosa, em Goiás, até Água Boa”, afirmou o senador.
Entram em pauta, na ANTT, as etapas de estudos e planejamentos de expansão ferroviária até Cuiabá. A concessionária planeja duplicações, novos pátios, modernização de via, entre outras obras. Atualmente, as obras da ferrovia se encontram em Rondonópolis/MT, onde está localizado o maior terminal de cargas da América Latina.
“Esta conquista celebro com nossa bancada mato-grossense, em nome do senador Jayme Campos, que atuou incansavelmente conosco pela garantia de expansão da Malha Paulista em nosso estado; e celebro, ainda, junto a nosso povo um futuro de desenvolvimentos e oportunidades que trará mais e melhores dias de prosperidade às famílias mato-grossenses”, celebra Wellington Fagundes.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais do IBL

Transportes de cargas em ferrovias: governo quer dobrar oferta

Transportes de cargas em ferrovias passaram a ser objeto de estudos pelo governo no sentid ...

Privatização do Porto de Santos: a joia dos portos brasileiros

A privatização do Porto de Santos está prevista para 2021. Todavia, as preparações pa ...

Concessão da Via Dutra envolve recursos na ordem de R$ 32 bi; primeira audiência é realizada

A audiência pública realizada na segunda, 13, na sede da Agência Nacional de Transporte ...

Troncos no Rio Madeira devem ser beneficiados, defende a Frenlogi

O diretor executivo da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura do Congresso Naci ...
Fechar Menu