200 cidades é a meta da Azul, agora na aviação regional, incluindo carga

Azuil Conecta - Aviação regional
Aéreo, Geral

Na aviação regional, subsidiária Azul Conecta tem 17 aviões do modelo Cesna Gran Caravan, com capacidade para até 9 passageiros; 3 aeronaves são de carga

De acordo com informações do jornal Estado de São Paulo, a Azul lançou nesta terça-feira, 11, sua subsidiária para o mercado de voos regionais: a Azul Conecta. A cerimônia de lançamento, presencial, foi em Jundiaí (SP) e contou com executivos da empresa e representantes do governo. Precipuamente, a empresa tem como objetivo chegar a 200 cidades nos próximos anos. Hoje, contudo, a cobertura conjunta das duas é de 152 municípios.

Ainda conforme informa o Estadão, a empresa é fruto da aquisição da TwoFlex, anunciada no início deste ano. Com atuação em 36 destinos no País, a Azul Conecta é composta por 17 aeronaves modelo Cesna Gran Caravan, um turboélice regional monomotor com capacidade para até nove assentos. Dos 17 aviões, três são exclusivamente cargueiros.

“Todo mundo está triste com o que esta acontecendo, mas isso vai acabar. Temos de olhar para frente e ajudar o Brasil a crescer”, disse o presidente da Azul, John Rodgerson.

O secretário Nacional de Aviação Civil (SAC) do Ministério da Infraestrutura, Ronei Saggioro Glanzmann, destacou a importância de elevar a cobertura aérea no País. “Chegar com esse tipo de aeronave é fundamental. Não temos aeroportos como Congonhas em todos os lugares do Brasil”, disse, defendendo a demanda de passageiros por voos em municípios mais afastados.

Sub-regional

“Acreditamos muito na aviação sub-regional, no atendimento das cidades que hoje a gente não conseguiria fazer com a frota que a gente tem. Essa versatilidade de frota ajuda muito a atender esses mercados menores”, disse o vice-presidente técnico-operacional da Azul e diretor presidente da Azul Conecta, Flavio Costa.

Entre as regiões onde ele vê mais oportunidades estão a Norte e a Centro-Oeste. “São regiões muito desabastecidas. Mas também há oportunidades em cidades pequenas no Sudeste e Sul”, disse.

A compra da TwoFlex foi anunciada em janeiro de 2020 pela companhia, diz o texto do Estadão. Assim, em maio, a empresa concluiu a aquisição pelo preço total de R$ 123 milhões. O negócio teve aprovação sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), decisão proferida em 27 de março.

Veja mais publicações

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Dê um like no facebook